11 de maio de 2010

Istambul, Turquia

Istambul (antiga Constantinopla) é o tipo de cidade que se escolhe quando se quer visitar algo diferente. É uma cidade de contrastes, a única que faz parte de dois continentes, do Europeu e do Asiático. É o estreito de Bósforo que a divide e, de um modo subtil, lhe oferece muita vida e agitação.
Basta um cruzeiro de 2 horas para apreciar as fachadas dos vários monumentos que nos vão alimentando a viagem.
Nós partimos de Eminönü por apenas 10 TL, no entanto há várias empresas a fazer este trajecto por preços e horários diferentes.


Um dos monumentos de grande importância é o Palácio Dolmabahçe que se encontra na margem do estreito de Bósforo, este palácio foi construído entre 1842 e 1853, a pedido do sultão Abd-ul-Mejid I, no declínio do império Otomano. Este palácio está dividido em duas partes, a oficial e o harém. Aqui pode admirar-se o maior candeeiro de cristal do mundo, de 4 toneladas e meia, a mais requintada escadaria em cristal, assim como inúmeros salões onde o ouro e outros objectos de valor, tais como a prata, não passam despercebidos. A entrada custa 20 TL.


Caminhar é a melhor opção para se conhecer parte da cidade, principalmente o bairro de Sultanahmet, onde se situa grande parte dos monumentos. Neste bairro não faltam os famosos carrinhos vermelhos a vender "Simit", pão tradicional em forma de argola, enfeitado com sementes de sésamo; vendedores de sumo de romã; vendedores do famoso gelado turco "Dondurma" que estica e encolhe por ter um ingrediente derivado da orquídea.
É possível ver como preservam a cultura e as tradições, as mulheres de mais idade como apreciam o uso do véu, os homens a narguilé e o chá turco.


A Mesquita Azul é a principal da cidade, isto porque possui seis minaretes. O seu interior é decorado por azulejos Iznik azuis, daí a origem do seu nome. Para a visitarmos somos obrigados a tirar os sapatos e as mulheres devem colocar um lenço na cabeça em sinal de respeito. Reparem que as mulheres e homens muçulmanos fazem as suas orações separadamente, o fundo das mesquitas é o lugar delas. (entrada grátis)




A Basílica de Santa Sofia encontra-se exactamente em frente à Mesquita Azul. Hoje é um museu, outrora uma igreja e mais tarde foi transformada na mais importante mesquita de Istambul. A sua arquitectura é bizantina, um monumento imperdível. (entrada 20TL)


A cerca de 40 metros a sudoeste da Basílica, encontra-se a Cisterna, com uma entrada estreita e uma porta quase despercebida. Mas sem dúvida para nós esta foi uma enorme surpresa. Este reservatório subterrâneo, construído a pedido do imperador Justiniano I, é constituído por 336 colunas, de 9 metros de altura cada e com capacidade para 80.000 litros de água. Entre tantas colunas estão 3 muito especiais, a das lágrimas e outras duas onde foram colocadas cabeças de medusa que geram polémica sobre a sua posição e origem. (entrada 10TL)


O Grande Bazar assim como o Bazar das Especiarias são mais dois dos top 10 de Istambul, ficam a uma curta distância um do outro e neles encontra-se de tudo. Convém sempre negociar, mas aqui não se encontram pechinchas como em Marrocos ou na Tunísia. Também é importante lembrar que o Grande Bazar é um labirinto cheio de requinte, onde se chega a encontrar até diamantes à venda para os que levam a carteira bem mais recheada. Claro que também comprámos algumas coisas, poucas, embora não necessitássemos de nada foi mais pela diversão e porque tivemos a sorte de conhecer o vendedor mais simpático do Grande Bazar ;)


Mapa do Grande Bazar, da cidade e transportes click

Ao final da tarde, perto do pôr-do-sol, a Torre Gálata merece uma visita, é uma experiência imperdível. Daqui tudo parece tão perto, a ponte Gálata que atravessa o Corno de Ouro ganha outra vida, parece que ganha ainda mais agitação e os pescadores viciados que passam dia e noite no seu passatempo preferido, tornam-se omissos perante a mais bela reunião entre monumentos e pôr-do-sol.



video

Em relação ao Palácio Topkapi é ver para crer na riqueza que ali se guarda, aconselhamos a visita em especial ao terceiro pátio às Salas do Tesouro, onde está exposta uma verdadeira colecção de tesouros, outrora pertences dos sultões otomanos.
Numa outra sala, no lado oposto estão expostos pertences do profeta Maomé, como o seu manto, uma pegada,...


O que provar?
"kiymali pide" (espécie de pizza turca com borrego), "simits" (pão tradicional), sumo de romã (nunca em jejum), as famosas "baklavas", delícias turcas, "dondurma" (gelado), iogurte turco, chá turco, café turco, kebabs...


TOP 14 - A não perder:

1. Palácio Dolmabahçe
2. Basílica de Santa Sofia
3. Cisterna da Basílica (Yerebatan Sarnici)
4. Mesquita Azul
5. Palácio Topkapi
6. Grande Bazar
7. Bazar das Especiarias
8. Mesquita Süleymaniye
9. Cruzeiro pelo Bósforo
10. Torre da Donzela (Do filme "007- The world is not enough")
11. Torre Gálata
12. Corno de Ouro
13. Çemberlitas Hamami (Banhos turcos)
14. Hipódromo de Constantinopla

(DICA) Transporte do/para o aeroporto: À saída dos aeroportos estão sempre autocarros da empresa HAVAS com destino à Praça de Taksim, saem de 30 em 30 minutos e o preço é 13 TL por pessoa.
Nós aterramos no aeroporto Sabiha Gokçen que fica no lado asiático, no entanto esta viagem de 19 km para o centro da cidade demorou cerca de 2 horas, isto porque o tráfego para entrar no centro de Istambul é caótico.
Da Praça de Taksim para o aeroporto, o mesmo percurso, demorou 40 minutos.

Transportes públicos no centro de Istambul: Convém evitar os horários de ponta.
No início parece tudo um pouco confuso mas acaba por se tornar simples. Nós optámos por andar maioritariamente de Tramvay por ser o meio de transporte mais próximo do nosso hotel.
Estes passam de 5 em 5 minutos e o preço de cada viagem é 1.50 TL por pessoa.
Os bilhetes, "jeton" como lhe chamam, são vendidos em quiosques ou em máquinas junto a cada paragem.
O "jeton" parece uma moeda plástica.
Mapa da rede de transportes de Istambul click

Sem comentários:

Enviar um comentário