2 de maio de 2008

Ilha da Madeira

Quando decidimos visitar a Ilha da Madeira tínhamos como objectivo conhecer o máximo possível e não era nossa intenção ficar só pelo Funchal, então reservamos 11 dias.
Alguns amigos disseram-nos que era tempo demais para uma ilha tão pequena, mas sentimos que foi o tempo exacto.
A visita começou pelo Funchal, o dia estava óptimo e à medida que visitávamos cada ponto de interesse fomos constatando que o Funchal é mesmo um jardim.
A cidade é pequena, descontraída e ao mesmo tempo segura.

video

Pontos de interesse no Funchal

1. Parque de Santa Catarina
2. Porto marítimo
3. Mercado dos Lavradores
4. Fortaleza/Palácio de São Lourenço
5. Paços do concelho/ Câmara Municipal do Funchal
6. Igreja de São João Evangelista
7. Sé Catedral
8. Jardim Municipal
9. Adegas de São Francisco (museu do Vinho Madeira)
10. Igreja de Santiago Menor
11. Fortaleza de Santiago
12. Convento de Santa Clara
13. Fortaleza de São João do Pico
14. Jardim Botânico
15. Igreja da Nossa Senhora do Monte

Apesar de pequena a cidade do Funchal não se vê em 1 dia, nem era essa a nossa intenção.
Visitámos tudo que queríamos, comemos bem, aliás muito bem, e como não havia pressas ainda conseguimos relaxar.
O Funchal já estava visto, mas estava a faltar a vista panorâmica, subimos no teleférico que faz a ligação da zona velha da cidade ao Monte, em aproximadamente 15 minutos, e daí conseguimos apreciar e contemplar a deslumbrante paisagem durante aquele curto espaço de tempo.
Apesar de cara esta é a forma mais cómoda de chegar ao Monte.
Horário de funcionamento: 09.30 – 17.45
Preço: 10€ (Ida)
15€ (Ida e volta)
Teleférico click


Para se descer o Monte pode optar-se entre os autocarros já velhinhos, que se tornam uma aventura devido às estradas estreitas e às curvas contracurvas ou por descer nos tradicionais carros de cestos que são uma experiência do mais turístico que há em toda a Ilha.


Para além do Funchal, a Ilha da Madeira tem muito mais para oferecer, desde paisagens de natureza inigualáveis, soberbas piscinas naturais, inúmeras levadas e veredas para aprazíveis passeios a pé, excelentes miradouros, boa comida e algum artesanato.
Para aproveitarmos tudo isto com grande liberdade alugámos um carro e seguindo a rotação dos ponteiros de um relógio partimos do Funchal com o objectivo de visitar toda a margem da ilha e alguns pontos do seu interior.


Câmara de Lobos


Miradouro do Cabo Girão


Igreja da Ribeira Brava


Marina da Calheta


Prazeres


Caminho Pés Descalços - "Hotel Jardim Atlântico" (Prazeres)


A caminho de Porto Moniz


Piscinas de Porto Moniz


Seixal


Piscinas Naturais de Seixal


Foz da Ribeira de São Jorge


Santana

Vereda do Pico Ruivo

Início: Achada do Teixeira
Extensão: Cerca de 3 km (só a Ida)
Tempo: 1h30 a passo lento
Grau de Dificuldade: Principiantes
Altitude máxima: 1861 m
Altitude mínima: 1535 m

Antes de fazermos a vereda do Pico Ruivo tentámos informar-nos de como seria este percurso, desde o grau de dificuldade, distância, tempo de percurso, altitude máxima, etc.
Mesmo assim teria de falhar alguma coisa...
Antes de iniciarmos o percurso a partir da Achada do Teixeira, mudámos de calçado e não nos esquecemos de levar água nem fruta.
O sol estava a querer aparecer por entre as nuvens e como não estava calor nem frio começámos a escalada, tudo correu muito bem. Parámos duas vezes para descansar e para apreciar melhor o que víamos.
Quando chegámos ao cume do ponto mais alto da Ilha ficámos acima das nuvens, o sol estava mais radiante que nunca e achámos engraçado ver por ali tantos turistas a apanhar banhos de sol como se da praia se trata-se, no entanto estavam apenas a descansar pois alguns já tinham percorrido cerca de 8 km, desde o Pico do Areeiro.
A paisagem é encantadora e a primeira sensação que se tem é de paz, muita paz.
Depois de sentirmos na pele aquilo que achámos ser qualidade de vida decidimos voltar, e à medida que descemos o clima mudou drasticamente, foi aí que reparámos nas queimaduras graves na nossa pele.
No entanto encontrámos o princípio da solução para este problema numa farmácia, pelo que aconselhamos que levem não só protector solar mas também agasalhos.
Este trilho é maravilhoso pelo que o aconselhamos vivamente.


Pico Ruivo


Achada do Teixeira - "Homens de pé"

Já estávamos a meio das férias quando decidimos fazer o trilho da Levada do Risco, no entanto como este trilho é um dos mais curtos e mais fáceis de fazer aproveitámos para fazer de seguida o trilho da Levada das 25 Fontes.

Rabaçal – Risco – 25 Fontes
Mapa do Trilho click


Extensão Ida e Regresso: Cerca de 9.2 km
Tempo de percurso: quase 4 horas

Ambos os trilhos se iniciam na estrada regional (ER110) e descem até à casa de abrigo do Rabaçal e a partir daí os trilhos separam-se seguindo duas levadas paralelas localizadas em diferentes cotas.
Há carrinhas que transportam as pessoas que só querem começar os trilhos a partir da casa de abrigo do Rabaçal, uma vez que só a partir daí é que o percurso tem interesse.
Começámos o trilho a partir da casa de abrigo com destino ao Risco e a cerca de 1 km do percurso começámos a ouvir o som da espectacular queda de água que marca o fim da Levada do Risco.
Esta queda está a cerca de 1000 metros de altitude e o seu nome deve-se ao facto da queda de água fazer um risco na rocha.


Depois de ficarmos por ali algum tempo a apreciar tão bela paisagem regressámos à casa de abrigo do Rabaçal e iniciámos a Levada das 25 Fontes. O percurso é fácil, no entanto em determinados locais a vereda apresenta-se estreita e sem protecções.
Depois de percorrer mais 2.5 km demos literalmente de caras com a linda lagoa, das 25 Fontes de onde não queríamos sair.
São as águas que descem de Paul da Serra que formam a lagoa das 25 fontes e o seu nome deve-se ao facto de se contarem cerca de 25 estreitas quedas de água junto à parede da mesma.


Lagoa das 25 Fontes


Ponta de São Lourenço

(DICA) Come-se muito bem na Ilha da Madeira, no entanto deixamos aqui três sugestões.

"A Tasca do Jaquet"
Rua de Santa Maria 5/5A (Situado na zona velha da cidade, junto do movimentado Mercado dos Lavradores)
9050-040 Funchal
telf. 291225344

Esta tasquinha é muito simples e acolhedora.
Serve excelentes lapas, o peixe é sempre fresco e as batatas fritas com ervas são simplesmente deliciosas.
Nesta tasquinha nem sonhe em pedir pão, pois a D. Maria José, cozinheira, ou o seu irmão não lhe darão a resposta que mais espera ouvir.



Restaurante "O Regional"
Rua Dom Carlos I 54
Funchal
9060-051 FUNCHAL
telf. 291232956

O restaurante "O Regional" serve uma selecção cuidada de pratos com origens na cozinha regional Madeirense, donde se destacam as espetadas acompanhadas com batata-doce, a massa com peixes, as sardinhas assadas entre outros deliciosos pratos.
Durante a nossa estadia este foi o nosso restaurante de eleição, não só pela comida, mas também pelo óptimo serviço e agradável esplanada.


"Golden Gate Grand Café"
Avenida Arriaga 29
Funchal
9000-060 FUNCHAL
telf. 291234383

Oferece um serviço de restaurante no 1º piso e um café moderno no piso térreo, a esplanada é óptima e as confortáveis poltronas de verga convidam qualquer um a tomar ali um café enquanto se relaxa.

Sem comentários:

Enviar um comentário