13 de outubro de 2007

Veneza, Itália

Esta viagem foi muito desejada e a desculpa ideal foi o facto de um de nós comemorar o trigésimo aniversário para finalmente fazermos a marcação dos voos e hotel.
A aterragem é simplesmente espectacular, embora tenha parecido longa, tal era a ansiedade de chegar a Veneza.
À saída do aeroporto Marco Polo, que fica a cerca de 12 km de Veneza, apanhámos o autocarro nº 5 até Piazzale Roma.
Bilhete: 3€ (inclui malas)
Na Piazzale Roma comprámos bilhetes de 72h para o vaporetto, autocarro fluvial, e achámos que o dinheiro foi muito bem empregue, tendo em conta as viagens que fizemos.
Bilhete: 33€


Veneza é formada por cerca de 118 pequenas ilhas, conta com mais de 150 canais e 400 pontes.
Os seis distritos principais são: San Marco, San Polo, Santa Croce, Dorsoduro, Cannaregio e Castello.


Ficámos na zona de Cannaregio e se algum dia voltarmos será para repetir.

Começámos a nossa visita com um passeio de barco à volta de Veneza, aí apercebemo-nos que Veneza não é assim tão grande quanto imaginávamos e depois caminhámos por algum tempo por aquelas ruelas labirínticas onde a cada esquina há uma ponte e onde a cor dos canais nos deixou encantados.


Os edifícios envelhecidos acabam por dar grande charme a Veneza e se estivessem todos perfeitamente arranjados a cidade não teria o mesmo ambiente nem seria tão romântica.

Veneza é incomparável.

video
Incomparável também é a Basílica San Marco, situada na Piazza San Marco, em estilo veneziano-bizantino, muito rica em mármores e mosaicos dourados. Tem uma maravilhosa sucessão de cúpulas, pilares e arcadas, não faltam estátuas de mármore e os mosaicos que brilham ainda mais com a luz do sol captam a atenção de qualquer um.


Na varanda da mesma encontram-se os 4 cavalos de bronze de São Marcos, réplicas dos originais que se encontram no interior da Basílica.
A vista da varanda para a Piazzeta di San Marco e para o Grand Canal é sensacional, e muito bom também é ficar por ali um pouco a contemplar a Piazza San Marco, a Torre dell' Orologio e a Campanile de San Marco.
Entrada para a Basílica: Grátis, por isso a filas são longas.
Entrada para o museu da Basílica: 3€


Na Piazzeta di San marco estão 2 colunas de granito com símbolos de santos, uma é de San Marco e a outra de San Teodoro, foram erigidas em 1172 por Nicolò Barattieri. Este foi durante anos um local de execuções públicas.
Ao lado está a Torre Campanile, com cerca de 98.5 metros de altura e de onde a vista sobre o Canal é também magnífica.
Esta torre que já foi um farol, torre de vigia e espaço de tortura faz hoje com que os turistas sorriam.
Entrada: 8€ (com elevador)

O distrito de San Marco é sem dúvida o mais turístico, uma vez que grande parte das atracções se encontra aí. Interessante de ver também são os pormenores da Torre dell' Orologio, onde no cimo do terraço está o sino e se vêem dois mouros a anunciar as horas.


Neste distrito estão as lojas mais caras da cidade, onde as marcas da alta-costura assim como as lojinhas de máscaras, tão importantes no carnaval de Veneza, estão presentes, passeámos por aí, mas não entrámos em nenhuma pois a nossa carteira não permitiu.


Preferimos ir até à esplanada do café Florian e relaxar ao som da orquestra ao vivo, com a música "A garota de Ipanema". Este é o café mais conhecido de Veneza, o interior ainda mantém a decoração de 1720 e foi a primeira casa de cafés da Europa a ganhar reputação.
Estar ali naquela esplanada ao final da tarde foi óptimo para o ego, mas menos agradável foi ter de pagar 25€ por 2 cafés.
Perguntámos ao empregado, rigorosamente vestido de blazer branco e laço preto, por que motivo os cafés eram tão caros, ao que nos respondeu que "estar naquele local com uma tarde linda como aquela a tomar um café ao som daquela orquestra era melhor que assistir a qualquer espectáculo na melhor sala da Europa".
De facto achámos muito caro, mas em momento algum nos arrependemos. Por isso aconselhamos.


Passámos várias vezes pelo Palazzo Ducale, mas não entrámos, apreciámos apenas a sua imponente fachada, que é uma combinação dos estilos bizantino, gótico e renascentista. A fachada é também toda em mármore branca e rosada, com arcadas sobrepostas que chamam a atenção pela diferença. Foi entre 697 e 1797 residência oficial de 120 ducais que governaram Veneza, no entanto sofreu vastas modificações até ao século XVI, assumindo nessa altura o aspecto que se pode apreciar nos dias de hoje.


Um passeio de gôndola pode custa cerca de 100 € por hora para 2 pessoas, caso esta viagem seja acompanhada por um acordeonista ou cantor fica em 200 €.
Para grupos de 6 pessoas cobram 60 € sem música.


Nada em Veneza é barato e são os gondoleiros que acabam por beneficiar mais do turismo, pois são poucos os turistas que visitam Veneza e não fazem um passeio de gôndola.

video
A lagoa de Veneza é ainda mais bonita ao final da tarde, junto ao pôr-do-sol, precisamente quando o sol espelha a sua cor avermelhada e ao mesmo tempo dourada que fazem daquele momento a hora mais romântica do dia.


Outrora eram os veleiros, os navios mercantes e as galés que movimentavam a lagoa, hoje em dia são as gôndolas, os vaporetti, os cruzeiros e barcos de carga que a enfeitam e permitem aos turistas e locais desfrutar aquela paisagem única.


Embora Veneza seja composta por ilhas e canais, o Grand Canal é realmente o único que se destaca pela sua grandiosidade. Tem o formato da letra S, mas ao contrário e tem cerca de 3 kms de comprimento. Ao longo do Grand Canal raramente se vê um passeio pedonal, pelo que a melhor forma de o apreciar será através de um passeio de vaporetto ou de Gôndola.
Foi durante esse percurso que tivemos a oportunidade de apreciar a fachada do palácio Ca' d'Oro, o mais famoso em Veneza a seguir ao Palazzo Ducale, cuja construção se iniciou em 1422 por um membro da família Contarini.


Depois de se visitar Veneza, quando se fala do Grand Canal a imagem que nos vem imediatamente à cabeça é a da Ponte do Rialto, criada para ligar ambos os lados do Canal uma vez que essa era a zona de actividade comercial mais antiga e movimentada de Veneza.
O projecto da actual ponte começou em 1576, depois de várias pontes de madeira que ali existiram se terem partido ou ardido.


Bastante perto da Ponte do Rialto fica o tradicional Mercado do Rialto, local muito procurado tanto pelos locais como pelos turistas.
Esta zona de Veneza foi a primeira a ser desenvolvida tornando-se muito rapidamente um importante centro de comércio.
O mercado do Rialto tem áreas específicas para cada tipo de produtos: Erberia (fruta e vegetais), Naranzeria (laranjas), Speziali (especiarias), Pescaria (peixe)...
O mercado do peixe fica dentro de um edifício bastante antigo e encontra-se decorado com ornamentos próprios de uma peixaria.
O mercado abre todos os dias de segunda a sábado, no entanto o edifício do peixe encerra às segundas-feiras.


É imperativo fazer uma caminhada por Veneza à noite, aproveite e faça-o enquanto procura um restaurante decente para jantar. Não será fácil caso não queira gastar muito. Esteja preparado para o mau serviço e falta de qualidade da comida.
Como Veneza é uma cidade extremamente turística grande parte dos restaurantes não fazem o mínimo esforço para agradar o cliente, pois sabem perfeitamente que quando uns turistas já estão de partida outros estão a chegar e isso é sempre sinónimo de casa cheia.


Veneza fica ainda mais bonita à noite.


Top 15- A não perder:

1. Basílica San Marco
2. Palazzo Ducale
3. Piazza San Marco
4. Grand Canal
5. Galeria da Academia
6. Santa Maria Gloriosa dei Frari
7. Mercado do Rialto
8. Ponte do Rialto
9. Torcello
10. Campo Santa Margherita
11. Colecção Peggy Guggenheim
11: Torre dell'Orologio
12. Café Florian
13. Piazzeta di San Marco
14. Campanile di San Marco
15. Passeio de Gôndola

(Dica) O melhor local que encontrámos para comer, a preços muito acessíveis, foi o restaurante:
"Brek"
Lista di Spagna, Canneregio 124
Tel: (041) 244 0158

É um restaurante estilo self-service, onde o cliente vê a sua comida a ser preparada na hora caso peça pastas ou grelhados. Também têm pizzas, saladas e uma grande variedade de sobremesas.

1 comentário:

  1. Adorei este post de Veneza pois quase que revi a minha viagem por lá, aliaz até ao Brek (junta da estação?) eu fui comer, Veneza é linda aprece mesmo um cenário de filme e dá umas fotos fantasticas. Nós fomos de comboio por Itália naquele verão escaldante e as paisagens ate veneza eram tambem muito interessantes

    ResponderEliminar